Como foi a Parada Veg e o Dida

A minha visão de como foi a Parada Veg!!!

O evento foi marcado para as 10h mas só pude chegar as 11h30 (um pouco mais eu acho) por isso falarei só da parte que vivenciei, claro!
Cheguei e logo que sai da estação Trianon já via os verdinhos por lá (banners enormes e verdes), olha e o numero de pessoas surpreendeu minhas expectativas.

A união do Holocausto Animal, que estava com uma ótima participação com cartazes e banners e coordenando a parte do Dida; Consciência Veg com a organização, muito boa por sinal, da Parada Veg e com um número bom de voluntários; Instituto Nina Rosa sem a Nina, com algumas representantes que foram importantes para o movimento; ANDA que é sempre bem representada e colaboração total na divulgação;

Ativeg que vi apenas os banners não vi ninguém que conhecesse do grupo por lá; E por ultimo mas não menos importante, muito pelo contrario, Revolução da Colher (os donos do banners grandes e verdes *.*), grupo que estou conhecendo de uns tempos pra cá, mas que hoje foi surprendente em seu ativismo, um grupo que demonstra união a distancia, PARABÈNS!

Mas teve algo que me deixou muito feliz!! Ver uma pessoa, além de mim claro, com uma camiseta aqui do Guia Veg!! Muito bom saber que as pessoas estão usando e gostando das camisetas!!

Mas entre tudo, apesar da união das organizações achei e de um publico que superou minhas expectativas, ainda estamos na segunda edição da Parada Veg e sei que podemos melhorar!! Em São Paulo é onde se encontra o maior numero de vegetarianos/veganos do Brasil e hoje não havia nem 1% desse número.
Como queremos mudanças se não somos capazes de lutar por elas? Ativismo não é bobeira e sim uma forma de buscar as mudanças que queremos na sociedade (de forma pacifica sempre).
Devemos nos unir mais, divulgar mais e cada um deve aprender a sua importância em ser veg!
Não é apenas uma escolha na dieta alimentar, tem muita coisa envolvida, queremos uma cidade melhor, um país com menor índice de consumo animal, um mundo onde as pessoas não pensem que matar é legal!

O Dida em si, tem uma motivação diferenciada. Para quem não sabe o Dida significa Dia Internacional dos Direitos Animais o que hoje foi uma passeata em forma de protesto, pois os direitos animais ainda não são respeitados então não podemos, ainda, comemora-lo. O tema desse ano foi “Se você para de comer eles param de matar.” Com um “grito de guerra” que no começo estava confuso mas que foi se alinhando até a finalm onde todos estavam craques.

No próximo ano espero ver mais pessoas, no mínimo o triplo do que tinha hoje, não é questão de querer números, quantidade, volume ou como queiram chamar a questão é que precisamos nos mobilizar já estamos um passo a frente podemos percorrer um caminho mais tranqüilo daqui pra frente, basta querer e lutar por isso.
É nosso dever mostrar aos outros que existem alternativas, que não é necessário que existam mortes para manter-se vivo.

Sei que é difícil vestir a camisa e ir as ruas dar a cara a tapa, mas é necessário.

Anúncios

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s