CRIME AMBIENTAL: Justiça condena o ex-chefe da Polícia

Por Mídia e Coletivo defesa animal (ATIVISMO)

Delegado Crisóstomo foi detido durante operação da PF ´Arca de Noé´ Foto: Silvana Tarelho 8/12/2009

A Justiça Federal no Ceará condenou a 35 anos e um mês de prisão o delegado da Polícia Civil e ex-superintendente do órgão, Francisco Carlos de Araújo Crisóstomo. A sentença foi proferida pelo juiz Danilo Fontenelle Sampaio, titular da 11ª Vara.

Crisóstomo – que atualmente está afastado de suas funções – foi acusado na sentença de praticar crimes contra a administração ambiental e contra o meio ambiente, no processo de número 2008.81.00013311-0. Denunciado pelo Ministério Público Federal (Procuradoria da República no Ceará), o delegado deverá, agora, recorrer contra a decisão.

Operação

No site da Justiça Federal consta que o processo contra o delegado derivou de uma mandado de busca e apreensão realizado por ocasião da “Operação Arca de Noé”, que prendeu um grupo de 14 pessoas que controlavam a organização ´Paratodos´, responsável pelo jogo do bicho no Ceará por mais de 30 anos.

Agentes da Polícia Federal e fiscais do Ibama realizaram a busca na casa do delegado, situada no bairro Maraponga, na manhã do dia 18 de outubro do ano passado, e acabaram encontrando ali dezenas de animais (pássaros) silvestres, além de 83 galos de briga que eram usados em rinhas. Os animas são de 19 espécies da fauna silvestre brasileira. Entre eles havia uma Ararajuba, que, segundo o Ibama, está na lista dos que correm risco de extinção. Por conta disso, a PF abriu inquérito, que se transformou no processo. Na mesma operação, Crisóstomo e os controladores da organização ´Paratodos´ são investigados por crimes contra o Sistema Financeiro Nacional e ´lavagem´ de dinheiro.

Na sentença, o juiz Danilo Fontenelle condenou o delegado à pena base de três meses de detenção por cada crime praticado contra cada animal (83 galos). “Com o somatório das penas aplicadas, têm-se o total da pena de 35 anos e um mês de detenção, a ser cumprida, inicialmente, em regime fechado, cumulada com multa de 1.672 salários mínimos e meio, considerando-se o valor do salário do salário mínimo vigente ao tempo do fato em questão”, diz o magistrado na sentença.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s